16º livro do ano

"O lado bom da vida", Matthew Quick
Maio/2013


Analisando agora ao escrever, percebo que minha meta de ler 100 livros até o final do ano está começando a tornar-se improvável uma vez que já estamos em junho e não li nem metade do objetivo. Por outro lado, já li mais do que o brasileiro costuma ler por ano (uma vergonha!) e também costumo viver um caso de amor com cada livro. Não consigo só ler, preciso degustar o livro, saboreá-lo....
Este, por exemplo, durou uma semana (falta tempo para ler tudo o que eu gostaria) mas me deixou com gosto de quero mais.É um romance contemporâneo que já virou filme como a maioria dos romances de hoje em dia, muito gostosinho de ler...
Mergulhei no livro muito rapidamente, a história é cativante desde as primeiras páginas. É muito fácil deixar-se envolver pela narrativa em primeira pessoa do mentalmente instável Pat Peoples, professor que está voltando para casa depois de um tempo em um "lugar ruim" (uma instituição psiquiátrica) e que tem por objetivo de vida voltar para a esposa Nikki. Pat é um pouco infantil e talvez por isso tão facilmente apaixonante. Você acaba tomando partido dele, torcendo por ele e é muito interessante com a história te intriga, pois é perceptível que falta uma parte, um elemento que explicaria tudo. Em alguns momentos você sente raiva, em outros sua vontade é chorar com Pat.
O final é previsível,  mas vale a pena percorrer este caminho.
Vou assistir ao filme que, provavelmente não chegará perto do livro (o único caso em que me agradei de ambos, filme e livro, foi com "O Iluminado", escrito pelo fantástico Stephen King e transmitido para as telas pelo genialmente fantástico Stanley Kubrick. Caso único, até hoje.), depois atualizo e conto o que achei.
Mas, vou deixar a trilha sonora com tradução. Aproveite, olhos brilhantes... (entendedores entenderão.)
P.S.: já vi por uma brevíssima pesquisa que o livro ganha do filme disparado. Na minha humilde opinião...

Comentários

Postagens mais visitadas