21º Livro do ano

"Um best seller para chamar de meu" 

Pois é, mais um livro concluído. E que livro gostoso de ler! Adorei!
Após meu caso de amor com a Trilogia Millennium (que saudade dos meus amigos...) encarei a leitura deste livro como um respiro, após tantas venturas e desventuras pela linda Suécia. Ou seja, uma coisa leve, sem muita "responsabilidade". 
E que surpresa agradável!
Marian Keyes figura entre minhas autoras favoritas. Ela tem uma maneira muito peculiar de fazer você se ver dentro do livro, ou identificar momentos de sua vida ou pessoas que te cercam. Fica aquela coisa crível, pra você refletir sobre como o cotidiano, o comum, está cheio de histórias incríveis: tristes, engraçadas, trágicas, alegres... Como tudo o que se vive diariamente realmente pode retratar uma aventura incrível.
A saga de Gemma, Jojo e Lily (adoro os nomes que ela dá às suas heroínas!) gira em torno de como suas vidas encontram-se por caminhos diversos. Gemma e Lily eram grandes amigas que romperam por Lily ter feito algo que Gemma considerou uma traição (sim, tem homem pelo meio...). Jojo aparece como uma mulher moderna, forte e competente, que tem um caso com o chefe, que é casado. Ela trabalha em uma editora, é agente literária, aquela que representa os interesses dos autores. 
Uma pessoal apaixonada por livros como eu foi conquistada de cara por se tratar desse universo todo o mote principal da história. Muito interessante a maneira como a autora vai desenhando os encontros e desencontros. Mais uma vez, conhecemos a vida de cada personagens em capítulos dedicados exclusivamente à elas, o que dá um sabor diferente à trama. 
O final é excelente: nada muito meloso, real sem ser apelativo. Eu, particularmente, adorei!
Vale a pena cada página, vale o peso que faz na bolsa! (mais de 700 páginas). Marian é detalhista sem ser chata, realista sem ser cruel. Não há grandes reviravoltas, mas sinceramente? Gosto de ler algo que me mostre que a realidade também pode ser bem interessante... Depende de quem olha.


P.S.: acabei de ler uma crítica ao livro em outro blog, chamando-o de "fraco" e "Chick-lit"(livro de mulherzinha, em livre tradução). Me peguei pensando: como tem gente que precisa ser inteligente, né? Livros tem que ser para grandes reflexões, mudar sua vida, marcar a história... Eu, de minha parte, já fico satisfeita em saber que existem livros, e tantos, e de tantos estilos que podem perfeitamente encaixarem-se em cada momento de minha vida, de meu dia. Gosto de "livros cabeça", leio muita História, adoro terror... E, quando quero, sou também privilegiada em poder respirar com uma história leve, escrita para me divertir.
Gente chata não perde o seu próprio tempo... perde o dos outros!!!
Marian Keyes e sua cara de escritora... (*suspiro*) Quem me dera...

Comentários

Postagens mais visitadas