15º livro do ano

"Bela Maldade", Rebecca James
Quando digo que não assisto a certos tipos de programas de calouros (como "The voice", "Superstar" por exemplo) as pessoas riem do motivo: simplesmente não me sinto à vontade no papel de julgar o sonho de uma pessoa. Às vezes, a pessoa passou a vida inteira se dedicando a produzir um álbum, divulgar uma música e depois meia dúzia de curiosos vão até lá somente para dizer que não, a pessoa não canta ou não toca bem, enfim...acredito que me fiz entender.
Mas, e sempre existe uma mas...
Quando se é leitor, fica complicado não fazer um julgamento. A história, o livro, são coisas íntimas, coisas que estão dentro de sua mente, ocupando o seu tempo. Quem gosta de música deve funcionar assim também: a história passa a ser parte de você, os personagens são seus amigos ou não... E este livro é chato. Previsível. Com diálogos sofríveis...
Talvez eu tenha essa visão por ser uma leitora "velha". Talvez um adolescente leia esse livro com outros olhos, consiga empolgar-se com a história. Eu, no entanto, achei apressada, óbvia. Em alguns momentos, a protagonista - Katherine - é uma adolescente insegura e problemática, de repente ela se mostra impulsiva. Não tem uma personalidade. A antagonista - Alice - é de uma irritabilidade que nenhum ser humano com sangue correndo nas veias conseguiria ficar perto dela sem lhe dar uns socos. E no entanto, ela tem Robbie, um eterno apaixonado pronto a satisfazê-la e ser humilhado diante de todos toda-hora-todo -dia e essa songa-monga da Alice.
Foi chato, muito chato e só terminei logo porquê não via a hora de me livrar desse livro e partir para um autêntico King!
Não vou falar do livro porque não vou conseguir ver algo bom nele. Então, vou buscar na internet uma orelha de livro para colocar aqui.
Pronto, peguei na Saraiva: 

Sinopse
Após uma horrível tragédia que deixou sua família, antes perfeita, devastada, Katherine Patterson se muda para uma nova cidade e inicia uma nova vida em um tranquilo anonimato. Mas seu plano de viver solitária e discretamente se torna difícil quando ela conhece a linda e sociável Alice Parrie. Incapaz de resistir à atenção que Alice lhe dedica, Katherine fica encantada com aquele entusiasmo contagiante, e logo as duas começam uma intensa amizade.No entanto, conviver com Alice é complicado. Quando Katherine passa a conhecê-la melhor, percebe que, embora possa ser encantadora, a amiga também tem um lado sombrio. E, por vezes, cruel.Ao se perguntar se Alice é realmente o tipo de pessoa que deseja ter por perto, Katherine descobre mais uma coisa sobre a amiga: Alice não gosta de ser rejeitada...

Agora, lendo a sinopse fica mais claro ainda: era pro final ser uma reviravolta, ser uma surpresa...Mas a história toda é tão chata que até o final é sem graça.
Se você tem menos de vinte anos, recomendo. Senão, procure Harlan Coben que escreve excelentes mistérios. Ou John Verdon, outro que adoro e sempre recomendo.
Pois é.

Comentários

Postagens mais visitadas