16º livro do ano

"Misery - Louca obsessão"

"Sinopse - Misery - Louca Obsessão - Stephen King

Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar da forte nevasca. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado pela enfermeira aposentada Annie Wilkes, que surge em seu caminho. A simpática senhora é também uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegarão ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado. Ferido e debilitado, em Misery – Louca obsessão, Paul Sheldon terá que usar toda a criatividade para salvar a própria vida e, talvez, escapar deste pesadelo. "
(retirado da rede social Skoob, da qual inclusive faço parte)

Optei começar pela sinopse, desta vez, para não ser repetitiva. Dizer que sou uma admiradora do trabalho de S.King é chover no molhado. Gosto de ler, leio muito de tudo, mas ler uma obra desse escritor para mim é muito mais um deleite do que uma reles leitura para passar o tempo. É uma aula de como se prende a atenção de um leitor. 
O que mais me chamou a atenção é que a história parecesse em alguns pontos com acontecimentos da vida de Stephen: ele também sofreu um grave acidente em uma tarde em que caminhava próximo de sua casa, no Maine,  em 1999. Foi um atropelamento grave, que exigiu uma lenta recuperação. Ele perdeu a memória (brevemente), quebrou o quadril e a perna direita, teve danos pulmonares... Os médicos na época cogitaram inclusive amputar a perna de Stephen, tamanho o estrago. Durante a recuperação, Stephen precisou tomar medicamentos fortíssimos e acabou viciando-se em analgésicos ( que só veio somar aos seus outros vícios...). O livro "Misery" foi escrito antes deste fato ( a primeira publicação nos E.U.A. data de 1987) e o filme homônimo foi lançado três anos depois (e Kathy Bates ganhou o Oscar por sua Annie Wilkes), mas é inevitável notar a coincidência. Outro fato que chamou minha atenção foi essa obsessão da protagonista pelo escritor de sua personagem favorita. Stephen conta que já teve que lidar com alguns tipos estranhos de fãs. Especialmente dada a literatura a qual ele se dedica...
Enfim, tudo isso apenas enriquece ainda mais a trama do livro. É um livro curto em relação a vários outros do autor (tem 326 páginas, uma ninharia perto de calhamaços de mais de 900 páginas...), mas tem uma história que te "engole" muito rápido. King já começa com os fatos na sua cara e você não consegue ficar indiferentes à eles. Acho fantástica essa maneira de escrever, começando já expondo o cenário e mesmo assim, surpreendendo a cada página.
Outra coisa muito interessante é o livro dentro do livro: como Misery Chanstain é uma heroína criada por Paul Sheldon- o escritor sequestrado- em alguns momentos, para que o leitor se familiarize, você lê a história de Misery. Um livro dentro do livro. 
Se escrever UMA história já é para poucos, DUAS histórias dentro de uma...só o mestre!
Mais um show de Stephen. 
Não perca!

Comentários

Postagens mais visitadas