18º Livro do ano

"  'Salem", de Stephen King

Esta história de Stephen King já foi lançada anteriormente com o sugestivo e autoexplicativo nome de "A hora do Vampiro". 
Imagem da internet com os dois livros
É a segunda história escrita por King e foi lançada em 1975. Portanto, pertence a uma época e é importante ter essa informação em mente quando se lê a história, uma forma de se contextualizar acontecimentos. Não havia celulares, internet, os hábitos das famílias (especialmente aquelas que viviam longe das grandes metrópoles) eram outros, muito diferentes dos nossos hoje. Apesar desses pormenores não é uma história datada. Muito pelo contrário...
Com  " 'Salem" você voltará a ter medo de vampiros...
Esqueça a onda de vampiros "vegetarianos" ou que brilham à luz do sol...
Edward Cullen, vampiro "vegetariano de Stephenie Meyer (Robert Pattinson) resplandecendo ao sol.
(Tô falando isso, mas bem curti a Saga na época. Li e tenho os livros. Inclusive o último eu li on line, tamanha a expectativa para o final. Logo...)
Muito bem escrita e com aquelas reviravoltas que somente o Mestre King sabe dar (histórias dentro da história, personagens secundários não tão desimportantes, enfim, contribuições diversas de um monte de gente, moradores da cidade com suas vidas próprias e de alguma forma interessantes), a história começa com a decisão de Ben Mears, um escritor, de retornar a Jerusalem Lot, uma cidadezinha em que viveu alguns bons anos de sua infância. Porém, sua decisão é embasada no fato de querer exorcizar alguns medos, especialmente no que tange à Casa Marsten, cenário de uma tragédia muito antiga (que nada tem a ver com Ben, mas envolve a cidade) e que ainda pesa sobre os ombros dos moradores. Até aí, parece apenas mais uma história sobre casa mal assombrada na cidade pequena. 
Mas não é.
Após anos fechada, a Casa Marsten é vendida a dois reclusos moradores, negociantes de antiguidades, que atraem naturalmente a atenção já por terem optado morar em tal lugar, tão carregado de histórias e de uma atmosfera de medo e terror. Só por isso, já atraem a atenção. Mas apenas um é visto, pois o outro está viajando a negócios.
Ben Mears é um escritor e precisa de imaginação, mas o que ele vai viver em 'Salem nunca foi de longe sonhado...
King narra a história de uma maneira incrível, não há como não se envolver. É certo que na minha modesta opinião eu já li outros King que me envolveram mais rapidamente. Este, por necessitar de uma certa introdução um pouco mais longa, demora um pouco mais para engatar. Mas, depois que você lê as primeiras 50 páginas, você entra num caminho sem volta. Um maravilhoso caminho sem volta...
Adorei. De novo...

Comentários

Postagens mais visitadas