24º Livro do ano

"Orange is the new Black", Piper Kerman
Imagine a seguinte situação: você jovem, vivendo as descobertas e aventuras do dia-a-dia, fazendo escolhas que lhe são completamente novas, sentindo o sabor de situações que antes seriam improváveis... e, de repente, quando você já está em outro momento de sua vida, quando tudo isso já virou passado, uma atitude impensada retorna e cobra seu preço.
De maneira bem resumida, foi isso que aconteceu na vida de Piper Kerman: quando jovem, aos 24 anos, ela topou levar dinheiro de tráfico para fora do país, pois na época vivia com uma amiga excessivamente descolada e bem de situação econômica para uma simples universitária. Na verdade, foi um pouco além disso, mas passou sem maiores consequências na época...
Na época.
Dez anos depois, Piper vê-se confrontada com esse passado: a "traficante" entregou seu nome ao ser presa e ela, já morando com o noivo, com planos e emprego, com a vida mais normal que se poderia ter, é condenada a 15 meses por tráfico num presídio feminino federal.
A história do livro são episódios que ela viveu nesse período, pessoas que conheceu e o aprendizado que obteve nesse ambiente completamente estranho para ela. È estranho pensar o quanto se pode aprender ao conviver com pessoas tão diferentes e distantes de seu cotidiano. 
Virou seriado, mas não posso falar sobre porque nunca assisti. Mas o mote do assunto é interessante...
O livro também, consegue ser leve apesar do assunto meio barra pesada. A autora conseguiu minha empatia e em muitos momentos eu vivenciei sua história, compreendi sua dor ou sua angústia. Ela se torna abnegada quanto ao fato de que tem que cumprir e pagar pelo erro que cometeu, mas é interessante acompanhar o processo que a levou até essa conclusão. O medo que ela tem ao contar para os pais, para os sogros, o dia em que o noivo a levou até o presídio, o espanto da maioria ao ver uma mulher como ela - o estereótipo da mulher branca, loira e bem sucedida- longe de todos os padrões esperados para uma presidiária, estar ali entre eles, a mobilização dos amigos ao providenciarem livros, prepararem para recebê-la dali a quinze meses...Toda a história é interessante, especialmente as reflexões sobre o próprio sistema prisional e a nossa sociedade, o que deveria acontecer ao preso e o que realmente é feito lá dentro. (Isso levando-se em consideração que estamos falando dos EUA, ou seja, um lugar que supostamente as cadeias e penalidades funcionam bem melhor do que aqui.)Também é gostoso ver a volta por cima com classe que Piper Kerman conseguiu dar. No final, o que poderia ter tornado-se um drama virou história para contar!
Livro bom de se ler. Vale a pena como uma leitura leve e informativa.

Comentários

Postagens mais visitadas