36º LIVRO DO ANO

"PETER PAN TEM QUE MORRER", JOHN VERDON


   Apesar de minha preferência óbvia ser a literatura de terror/horror, acredito que posso listar como segundo lugar no ranking os romances policiais (apesar de ler de tudo, fique claro). Conheci a escrita de John Verdon há alguns anos atrás, numa época em que eu estava lendo muito Harlan Coben e comecei a achar muito prevísivel, cheguei a outros autores do gênero, como Patricia Highsmith, Gregg Hurwittz e John Verdon. Me surpreendi com seu primeiro livro lançado aqui no Brasil, "Eu sei o que você está pensando" e o segundo, "Feche bem os olhos", não deixou por menos. Hoje ele está entre os meus favoritos e não me arrependi de nenhum dos livros que comprei.
   John Verdon trabalhava com publicidade em Nova York e após sua aposentadoria foi viver numa localidade rural do estado. Incentivado por sua esposa Naomi, começou a escrever romances policiais. Criou um personagem forte - Dave Gurney, detetive aposentado da NYPD que também foi para as montanhas Catskills (local onde Verdon mora) em busca de viver a aposentadoria, mas ele sai da polícia e a polícia não sai dele. Sendo assim, vira e mexe ele está envolvido em alguma trama sinistra, principalmente porque a fama que o persegue diz que ele é o policial que nunca deixou de resolver um caso - o infalível David Gurney. Porém, ele também tem seus demônios - como o afastamento do filho do primeiro casamento e a morte prematura do segundo filho de seu casamento atual com a inteligente Madeleine, que insiste em tentar fazer Gurney se afastar da polícia e se aposentar de fato. Ainda temos o policial durão e boca suja (adoro ele!) Jack Hardwick, que não é exatamente o melhor amigo de Gurney, mas está sempre por perto, seja para ajudá-lo ou para colocá-lo em encrenca.
   Apresentado nosso herói, aqui estão os outros livros já lançados no Brasil pela Editora Arqueiro, todos muito bons e protagonizados pelo David Gurney:


   Agora, voltando ao "Peter Pan..."
   A trama é muito ágil, a história se desenvolve muito rápido. Logo nas primeiras páginas, ficamos sabendo do caso em questão: uma mulher, Kay Spalter, cumprindo pena pela morte do marido, um figurão do ramo imobiliário que se lançava como candidato a prefeito e sua bandeira era o combate ao crime organizado. Ele sofre um atentado - leva um tiro no dia do enterro da mãe. Fica hospitalizado, sem conseguir falar ou se mexer, em estado quase vegetativo por alguns dias, mas acaba morrendo. Com todo o dinheiro em questão, tudo aponta para a esposa. Mas ela diz que não foi ela, pois outras pessoas poderiam lucrar muito mais com essa morte.
   Dave chega até esse caso através de Jack Hardwick, que foi afastado da polícia depois de vários pormenores do caso do criminoso Bom Pastor (no livro "Não brinque com fogo") e está trabalhando como detetive particular. Juntamente com o advogado de Kay, ele começa a levantar diversos erros absurdos no julgamento dela que culminaram com sua condenação. Jack pede seu auxílio e Dave mergulha de cabeça nessa trama. Conforme ele vai falando com testemunhas e esmiuçando o caso, percebe que a coisa é muito mais complicada do que imaginava no início e envolve muita gente perigosa.

   Eu gosto muito da maneira como a história se desenvolve. Obviamente tem vários clichês de romance policial - o "tira" superinteligente e incorruptível, o "tira" mau que está disposto a qualquer coisa, os dramas familiares pesados do protagonista que às vezes turvam suas análises, a esposa que apoia mas teme... enfim, tem umas coisinhas que fazem parte do esquema. Mas, no geral, é uma trama muito bem escrita que não foge do foco. Você quer saber o que aconteceu e de uma maneira muito inteligente, John Verdon vai nos dando as pistas uma a uma. A gente pensa junto com o Gurney, analisa o caso com ele a cada página. O foco é o detetive e sua obsessão em solucionar o problema e eu acho isso muito bom, pois as tramas secundárias não ganham um espaço e importância além do necessário. Isso faz com que a leitura seja rápida, porque você está sempre querendo saber o próximo passo, o que ele fará com a descoberta atual. 

É um bom livro, gostoso de ler, muito bem escrito. Vale a pena se você gosta desse tipo de romance. 
Aliás, se você gosta, recomendo ler todos os livros lançados até aqui. Todos tem a mesma característica de te envolver no mistério e te levar com ele.

Boa leitura!

Comentários

Postagens mais visitadas