37º LIVRO DO ANO

"O PERFUME - A HISTÓRIA DE UM ASSASSINO"


Essa história de um serial killer "diferenciado" já virou filme, mas lógico que é melhor beber na fonte original antes de julgar uma história. #sóacho

"O Perfume" conta a história de Jean-Baptiste Grenouille, nascido de uma mulher solteira que já havia tido outros filhos e todos nasceram mortos/morreram ao nascer, paridos no meio do mercado de peixes de Paris, em cima de vísceras e restos dos peixes vendidos ali. Por mal dos pecados, Jean-Baptiste não morre e, ao ser encontrado em cima daquela podridão acaba por condenar sua mãe ao cárcere e morte, por abandoná-lo.
Sozinho no mundo, é encaminhado a uma ama de leite que não consegue ficar com a criança por dizer que ele é muito diferente dos outros bebês: ele não tem cheiro. Nenhum. Nem bom nem ruim. Ela leva a criança até o padre que acha estranha a explicação sem nexo da tal ama, estranha ainda mais o fato dela não aceitar nenhum tipo de pagamento para continuar com a criança. A mulher demonstra uma repulsa anormal pelo bebê, sem motivo aparente, afinal é apenas um bebê. O estranho é que, ao acariciar a criança, ao se aproximar dela ele sente a mesma repulsa, o mesmo asco. Não ficará também com o bebê. E resolve levá-lo para um orfanato cuidado por uma mulher tão pobre e problemática quanto as crianças das quais ela cuida...

E assim tem início a história de Jean-Baptiste, um homem que nasceu sem cheiro. Mas, como uma espécie de compensação da natureza, ele consegue identificar todos os cheiros do  mundo: qualquer odor que seu nariz alcançar ficará registrado em sua mente. Qualquer perfume será descrito em detalhes por ele. E ele sai em busca do perfume perfeito.
O livro vai detalhando a história e em alguns momentos dá muita pena do garoto! Ele sofre horrores, apesar de não se dar conta disso já que nunca teve expectativas ou uma vida diferente daquela que está levando. Ele passa por muitos maus bocados até conseguir chegar a um perfumista que poderá auxiliá-lo em seu objetivo. Aparentemente ele leva algum tipo de maldição que infecta quem está a sua volta - é bem interessante como o autor nos guia a essa conclusão. E aquele que ele deduz ser o cheiro perfeito é o cheiro humano, o certo e característico que ajuda cada um de nós ter a personalidade e beleza que temos. Não é o perfume que você passa após o banho, é o seu cheiro, aquele que só você tem que atrairá a atenção de Grenouille, porque ele pode senti-lo de uma maneira única. 

A descrição dessa Paris próxima da Revolução é muito bem realizada. Como o foco é a questão dos cheiros, dos perfumes, o autor não se deixa levar por idealizações e narra sempre o fedor das ruas, as nojeiras que são realizadas normalmente pelos cidadãos parisienses e a necessidade de perfumes para amenizar esse incômodo problema. Também há bastante detalhes sobre a arte dos perfumistas. Algumas partes que tratam também do que os personagens estão comendo ou fazendo são bem detalhadamente nojentas(nada absurdo, mas nojentas...) É um livro com bastante narrativas, algumas bem longas e com poucos diálogos, poucas intervenções já que Grenouille não é muito de conversar... Achei um pouco cansativo num determinado ponto da história quando o protagonista se isola numa montanha (mas aí vai da leitura de cada um, fique claro que aqui estou dando a minha opinião). O título já diz que é a história de um assassino, mas demora para que o primeiro crime aconteça. É bem estruturado porque nos dá toda a linha de tempo da vida do protagonista desde seu nascimento, então é possível você mesmo ter uma visão muito clara de como a maneira de pensar dele chegou ao ponto que chegou. Ele não enlouquece, simplesmente ele é o que é. Mas não fique ansioso, vá com calma.

Apesar de não ter sido uma história que me ganhou de cara (mesmo sendo um livro com menos de 300 páginas foi um pouco arrastado de lê-lo. Achei que o faria mais rápido...),o final foi surpreendente! Teve uma reviravolta incrível! Mas não sei se foi positiva, entende?  Foi inesperada, talvez descreva melhor...Eu fiquei besta com o final... ainda digerindo. Não é um livro ruim, de forma alguma, mas é "fora da casinha" - bem diferente do que você pode estar acostumado.

Bom livro, boa leitura!

Comentários

Postagens mais visitadas