41º LIVRO DO ANO

"HARRY POTTER E A PEDRA FILOSOFAL", J. K. ROWLING






Não tenho muito o que dizer sobre Harry Potter. Cada vez mais me convenço de que uma geração INTEIRA - sem exageros - foi influenciada por essa leitura. Muitas pessoas são hoje leitoras por conta dessa saga. 

Eu confesso que passei em brancas nuvens. Na época do lançamento do primeiro livro aqui no Brasil -1998 - estava eu então com 21 anos, ou seja, ainda na faixa etária do público do livro, mas por algum motivo eu não fui atingida por essa "onda" (logo eu, tão dada a modismos...). Depois de alguns anos, trabalhei com uma pessoa que gostava muito da história - acho que na época já estavam no segundo ou terceiro livro, não sei ao certo - e , sabendo ela do meu gosto por leitura, trouxe-me este livro muito empolgada, dizendo que eu ia adorar.

Não adorei. Aliás, acho que li 15 páginas e não consegui me interessar. Aí, recomecei, retomei a leitura. Não foi de novo... Aí, desisti, devolvi para ela com uma carinha de "desculpe" e a vida seguiu...
Agora, neste famigerado ano de 2015, tantos anos depois, comecei a ver tanta gente que gosta de ler falando do seu amor por Harry Potter, como ele foi o responsável pelo amor pela leitura, como foi emocionante acompanhar a saga... Comecei a considerar seriamente a possibilidade de ler. Pessoas emocionadíssimas por visitar o parque temático, até hoje são lançados livros que só existem no livro - os livros de estudo de Potter são lançados ("Animais fantásticos e onde habitam", "Quadribol através dos séculos" só pra citar alguns), tem edição de colecionador ou seja: é um amor que não tem fim!

Então, lá fui eu.

E li.

Não tem muito o que dizer sobre a história que já não tenha sido dito em todos esses anos. Harry é um bruxinho de 10 anos que até então não sabia que era bruxo, pois foi deixado na porta da casa de seus tios após a morte de seus pais. Os tios de Harry tem vergonha desse lado da família que desenvolveu seus dons de bruxaria (na verdade que possuem o dom da bruxaria...quem não tem poder de bruxo é trouxa. Eu sou trouxa... nunca uma definição fez tanto sentido! rsrs) e escondem de Harry sua verdadeira origem. Além disso, ele é o estorvo da casa, sempre destratado de tal forma que chega a dar dó! Juro, fiquei com muita pena... Mas, enfim, no dia do seu décimo aniversário, chega a carta que o convoca para Hogwarts -  a escola de bruxos. Lógico que isso causa um reboliço na família até a partida do garoto.

O livro versa sobre a estadia de Harry na escola, suas descobertas, as amizades que faz e os olhares que atrai - afinal, ele é um Potter: filho do bruxo que combateu e venceu  o mal que tomava conta do mundo mágico, na liderança de Voldemort (que não tem seu nome pronunciado)... E morreu por causa disso.

Gostei da escrita da autora : é clara, tem ritmo, ela mescla muito bem os acontecimentos sempre encerrando o capítulo num momento crucial que te deixa "pendurado", com vontade de saber logo o que vai acontecer no próximo. Ou seja, você não quer parar a leitura. Isso é muito positivo.

Como só cheguei agora nessa saga, fico com impressão que estou meio perdida aqui. Esse primeiro livro é bem direcionado para crianças, uma excelente jogada da autora para criar a identificação com seu público, que acabou crescendo junto com o personagem. Eu já sou a "tia" do Harry a esta altura... Mas tenho vontade de continuar lendo. Lógico, algumas coisas eu já vi no decorrer de tantos anos, alguns personagens não serão surpresa - apesar de não ter visto nenhum filme... Mas, vou em frente e sem sacrifício nenhum, viu? Leitura gostosinha e interessante.

Ao final de cada livro, vou assistir o filme correspondente. 

Ah, eu coloquei essas capas ilustrando a resenha porque li minha edição no Kindle. Acho legal que a série tenha capas pra todos os gostos: capa dura, edição comemorativa, capa "adulta" e por aí vai... Não tem fim a diversidade Potter! 

Então, se você assim como eu, ainda não leu fica o convite!

BOA LEITURA!

Comentários

Postagens mais visitadas