24º LIVRO DO ANO

"ESCURIDÃO TOTAL SEM ESTRELAS", STEPHEN KING



PRIMEIRO KING DO ANO!!!

Eu sou muito, muito fã da escrita de Stephen King e costumo ler bastante suas obras. Este ano, porém, ainda não tinha adicionado nenhum livro dele na lista de "lidos"... Não propositadamente, mas aconteceu. E somente agora é que consegui ler algo de sua autoria. Mas posso dizer que valeu a pena, já que este foi ótimo!

"Escuridão Total sem estrelas" é um livro que reúne quatro contos. Em todos eles, a ideia principal é colocar o leitor como espectador de uma situação sombria, carregada de desesperança, onde o protagonista não tem opção a não ser cometer o improvável, o inimaginável - e arcar com as consequências disso, às vezes terríveis, outras nem tanto.

O primeiro conto , "1922", traz o dilema de uma família do interior dos EUA: a esposa quer vender as terras que pertencem a ela e incluir as terras da fazenda do marido para fazer um bom dinheiro para irem embora para a cidade, abandonando a vida pacata que até então tem, entre as vacas e as colheitas. O marido não quer fazer isso, mas ela está irredutível. E a maneira como ele tenta resolver esse impasse com a ajuda do filho envolve os três numa trama digna de filme de Hitchcok. Como um ato impensado pode desencadear uma série de outros tantos igualmente terríveis, envolvendo inocentes? As reviravoltas desse conto são muito bem intrincadas, escritas para tecerem uma trama que te deixa boquiaberto (Sabe aquele tipo de história que você lê e pensa "Não!", "Putz, não acredito!", "Não, não pode ser!"? Então, é essa...). 

O segundo conto, "Gigante do Volante" me lembrou um pouco alguns filmes do gênero "mulher em busca de vingança" que Hollywood produz aos montes, mas mesmo com um enredo bastante utilizado conseguiu prender minha atenção pelos detalhes que o autor vai inserindo na trama. 

"Extensão Justa", o terceiro conto, é o meu favorito deste livro. Especialmente porque o que mais me assustou ali foi a atitude humana - essa sempre podendo ser aterrorizante, não é mesmo? A inveja é um sentimento tão nocivo, tão prejudicial que muitas vezes as pessoas não tem noção do estrago que podem fazer. Ainda mais se tiverem uma ajudinha... Conto curtinho, mas incrível! A reação (ou a falta dela) do protagonista a tudo que sua decisão provoca na vida alheia me deixou estarrecida. Pior ainda é saber que, com certeza, muita gente faria (ou faz?) do mesmo jeito e dorme um sono tranquilo (do mesmo jeito...)

E o último, "Um bom casamento" é digno de nota: até que ponto realmente conhecemos aqueles que amamos? Mesmo depois de anos ao lado de alguém, é possível saber do que ele é capaz? E ainda que você responda que não, não conhecemos ninguém profundamente, será que é possível não se surpreender com o que se pode estar escondido sob um manto de normalidade?

King sendo King !

(e eu, como fiel leitora, saio das profundezas escuras renovada para as próximas jornadas propostas pelo rei do terror!)

Posso dizer que neste livro King está na sua melhor forma, sem dúvida!

Boa leitura!

Comentários

Postagens mais visitadas