48º LIVRO DO ANO

"MR. MERCEDES", STEPHEN KING (LIVRO I DA TRILOGIA BILL HODGES)



King é muito amor envolvido...

"Mr. Mercedes" é um thriller policial. Deixando de lado os fantasmas e o sobrenatural, King investe talentosamente nesta trilogia  com tudo que um bom livro tem: emoção, expectativa, ojeriza... tudo dosado de maneira correta!

Sou fã de Stephen King porque quando ele se propõe  escrever - seja lá o gênero que for - ele o faz magistralmente como se as palavras apenas fluíssem de seu cérebro para o papel. Incrível. Já disse e repetirei: a lista de mercado dele deve ser incrível!!! rsrs eu leria...#fielleitor

Nesta trama, Bill Hodges é um policial aposentado afundado na depressão de se ter tempo para curtir sem uma vida para fazê-lo. Apesar de já aposentado há um tempo, Bill ainda é atormentado pelo fantasma de um caso insolúvel: um assassinato brutal, no qual um Mercedes atropelou sem dó nem piedade uma enorme fila de pessoas em busca de um emprego. Oito pessoas morreram, entre elas uma mãe com sua bebê e várias ficaram com sequelas terríveis e incapacitantes pelo resto de suas vidas. Porém, um dia é surpreendido por uma carta assinada por alguém que se denomina Assassino do Mercedes, o que o faz retomar a vontade de descobrir quem poderia ser o tal. 

Enquanto isso, Brady Hartsfield, um jovem que trabalha em dois empregos - técnico em informática e vendedor de sorvetes - mora com a mãe alcoólatra e  tem orgulho em ter matado e ferido tanta gente sem ter sido capturado. ou melhor, ter se safado sem que sequer a polícia soubesse por onde começar. Ele foi o autor de um crime perfeito pelo simples desejo de querer matar.  E está com planos novos agora...

O livro é cheio de referências à obras do próprio King como também de seu filho, o (MARAVILHOSO) escritor Joe Hill. King aproveita os momentos certos para falar de Christine, seu carro assassino, Pennywise, de It, "Joe da Estrada" é o codinome de um bandido de um caso antigo do detetive Hodges (referência à Joe Hill e seu INCRÍVEL livro de estreia "A estrada da noite", livro preferido de minha vida). Em outro momento, ele cita que um roadie de uma determinada banda ali da trama  está com a camiseta de Judas Coyne - personagem principal do livro do filho) o que confere aos fãs de carteirinha (como eu!) uma certa cumplicidade com o mestre.

A história se desenrola muito bem, de forma bem dinâmica e é muito fácil criar empatia com os personagens - outra característica deste mestre. Logo você é engolido por essa trama e a vontade é saber o que vai acontecer - muito difícil parar o livro. Os personagens tem camadas que vão sendo descobertas conforme o desenvolvimento da história. Ninguém é só o que parece e todos tem seus motivos...

A história deste primeiro livro termina bem "fechadinha", deixando apenas uma insinuação do que pode acontecer no próximo , mas nada que vá te deixar com raiva por ter de esperar um pouco.

Muito, muito bom mesmo!!!



E aqui, a carta do Mr. Mercedes para Bill Hodges. Só pra dar um gostinho...

BOA LEITURA!

Comentários

Postagens mais visitadas