9º LIVRO DO ANO

"Não faz sentido - por trás das câmeras", Felipe Neto



Antes de criticar, antes de falar qualquer coisa sobre um determinado gênero eu prefiro experimentá-lo. Foi assim que eu descobri que coisas que eu já li muito eu não consigo ler mais (porn-mom, por exemplo), que autoajuda eu não suporto e seria uma perda de tempo ler algo por obrigação, livros didáticos sim, só por obrigação mesmo e por força da profissão... 

E, apesar dessa onda que varreu o Brasil no último ano com os famigerados livros de Youtubers, eu observei por um bom tempo antes de decidir me arriscar. Vi muitas críticas quanto a fato de que essa seria uma literatura sem nenhuma qualidade, que nada acrescenta já que esses meninos e meninas nada tem a dizer por serem jovens demais, que as editoras estariam apenas se aproveitando do sucesso desses meninos com seu jovem público, e por aí vai. Motivos para "não ler" eu via aos montes e, mesmo assim, esses tais livros lideravam as listas dos mais vendidos. Estranho é que, se você observar alguns dos motivos para não ler esse tipo de livro que citei, todos eles se encaixariam muito bem em alguns gêneros literários que vendem aos montes... E claro, se eu quiser, posso encaixar qualquer um desses motivos para justificar porque não ler um determinado gênero que eu não goste. Observe. 

Eu adoraria que todo leitor se interessasse por ler os grandes clássicos da literatura mundial ou que buscasse se inteirar mais da literatura de seu próprio país, por exemplo, mas isso seria até uma afronta sabendo o tipo de aluno que encontramos na maioria das escolas do nosso país, eu mesma só muito recentemente fui ler clássicos e ainda mais tentar ler clássicos brasileiros... Quem sou eu para exigir tal coisa, então? O Brasil não é um país leitor. Ao contrário de outros países que desde sempre tiveram grandes bibliotecas e aprenderam a valorizar o saber registrado em seus livros milenares, nós mal temos acesso a bibliotecas públicas de qualidade nos bairros. Por exemplo, perto da casa de minha mãe foi muito festejada a abertura de uma biblioteca há uns 4, 5 anos atrás. A tal "biblioteca" tem toneladas de livros didáticos(?) que muitas vezes já foram colocados para doação, um acervo pequeno e muito mal cuidado, já foi invadida por vândalos pelo simples prazer de estragar o que estava lá... Mesmo o espaço não é maior do que uma sala de aula de uma escola pública. Crianças pequenas (e por isso barulhentas, como é de se esperar) estão em mesinhas desenhando e conversando... As mesmas mesinhas destinadas ao leitor que vai até lá selecionar seu livro. Como você lerá algo ali? Não culpo quem está lá cuidando do espaço ou quem o inaugurou - pois se fossemos um país- leitor, qualquer lugar seria bem aproveitado para a prática da leitura.  Entende o que quero dizer: não temos a cultura dos livros, infelizmente. Sem contar o preço de um livro, pouco acessível para boa parte da população e, para a população a quem a aquisição de livros é acessível, não existe o interesse. Ou seja, caímos num círculo vicioso. 

Decidi dedicar um pouco do meu escasso tempo a ler algum livro escrito por um youtuber, pelo simples fato de que estava curiosa. Procurei no Kindle, já que não estava disposta a gastar dinheiro sem ter certeza de que eu iria gostar e achei no acervo Unlimited o livro do Felipe Neto. Recentemente, eu  vi alguns vídeos desse rapaz, e confesso que ele me causou uma boa impressão. Acho que ele é inteligente sim e tem uma visão um pouco diferenciada da maioria dos jovens de sua idade (ele tem 29 anos segundo me informa o Google), que talvez aprimore conforme ele amadureça (coisa que não espero de outros, sempre muito mimados, sem nenhuma visão do mundo, tentando superar ainda seu egocentrismo que já deveriam ter abandonado lá na infância...)

Voltando ao livro.

Felipe vai narrar a trajetória de seu canal, desde a concepção quase por acaso até o reconhecimento ainda que com certa resistência por parte da crítica. Felipe é um dos percursores dessa ideia de vídeo falando sobre algo - ou falando sobre nada, ou criticando, enfim. Conseguiu destaque ao assumir o papel de um jovem rebelde, sem educação, boca suja e briguento - que ele afirma ser  o total oposto em sua vida cotidiana. Vai contar dos problemas em gravar, montar cenário num quartinho na casa dos fundos da mãe, todas as improvisações, lidar com as primeiras críticas e com o sucesso, tentar entender o que ele fez de sua vida ao se expor dessa maneira, pensar num futuro fazendo apenas isso (coisa que ainda não existia). Há uma certa arrogância em seu linguajar, ele tenta manter-se humilde ,mas às vezes é mais forte do que ele - afinal, é fato que ele foi um desbravador... Mas, apesar de não ser o tipo de livro que vai acrescentar à sua vida, também não é de todo ruim. Ri em alguns trechos (além de situações muitas vezes engraçadas totalmente ao acaso - as melhores - Felipe coloca umas "piadinhas " ao longo da leitura, não perde chance de destilar seu humor irônico e muitas vezes escrachado). Ele fala um pouco de sua vida, de como as coisas entre o pessoal e o profissional foram se misturando a ponto de mexer muito com seu lado emocional, sempre destaca o quão jovem ele era quando tudo isso começou, como era difícil administrar tudo o que estava acontecendo...

Conclusão: um jovem de 20 e poucos anos que esteja pensando em começar um canal na internet terá muito ganho em usar as experiências de Felipe para não errar o que ele errou. Ou seja, há um público para esse livro sim. Não sou eu, mas isso é o de menos. Posso falar por esse livro, o único que li do gênero: se não ajuda, também não atrapalha. É um menino que se fez nesse mundo de internet, vídeo e exposição, mas que já pensou um pouco mais longe pois sua origem ajudou a sempre trazê-lo de volta ao chão. Não é um herói, mas é o retrato de uma geração. Tendo um pouco de boa vontade e paciência, dá pra ler e se divertir - talvez mais do que com alguns livros que tentam fazer isso de um jeito bem mais forçado.

Para mim, de outra geração, não sendo o público alvo desse livro, valeu como curiosidade, diversão. Tá ótimo para a primeira (e por enquanto, única) experiência do gênero "livro de Youtuber". E, antes de criticar, amiguinho, tenta ver o que você tem lido, ok? Veja o quanto isso acrescenta à você, ou te dá prazer ... Pense no que você gosta e no que seus amigos gostam, que pode ser bem diferente de você. E depois, pense se você liga para o que os outros estão falando ou deixando de falar.

E boa leitura!📚

"O que diferencia aqueles que conseguem daqueles que não conseguem é fundamentalmente a persistência."

"Meu pai diz, desde a minha infância, que eu tenho sérios problemas com mania de grandeza"

"Os jovens de 20 anos de hoje em dia consideram muito melhor viver o período da faculdade enchendo a cara em botecos à luz dos dias da semana e entupindo os pulmões e cérebro com maconha do que efetivamente lutar pelo seu próprio futuro."

Comentários

Postagens mais visitadas