15º LIVRO DO ANO

"A CÂMARA SANGRENTA E OUTRAS HISTÓRIAS", ANGELA CARTER



O livro nos traz um novo olhar sobre o papel feminino nos contos de fada através de uma escrita muito rica, impecável, que dá prazer de ler. São os contos mais popularmente conhecidos no mundo, como por exemplo aquele que abre o livro e que dá-lhe o nome, baseado na história do Barba Azul (lembra qual? Aquele homem misteriosos que vivia em uma castelo e era viúvo novamente e que proibia a esposa da vez de ir a um determinado quarto numa ala do castelo. Ela, numa desobediência, descobre que esse quarto é, na verdade, o lugar onde ele assassina as esposas). Achei encantador! Uma escrita de um bom gosto... Vou colocar aqui o parágrafo inicial:

"Lembro-me de como, naquela noite, fiquei acordada no vagão-leito, no suave e delicioso enleio da excitação, meu rosto em rasa sobre a fronha impecável do travesseiro e as batidas do meu coração imitando a dos grandes pistões que empurravam incansáveis o trem que me transportava através da noite para longe de Paris, para longe da minha infância, para longe da quietude branca e enclausurada do apartamento da minha mãe, rumo ao território inescrutável do casamento."

Observe que encanto! Num parágrafo, você consegue entender toda a mudança na vida dessa moça, a caminho do desconhecido e de uma nova vida - a de mulher casada. Você sente o medo, mas ao mesmo tempo o desejo de viver essa novidade. E note, querido leitor, a escolha adequada de cada palavra, valorizando uma introdução que ditará todo o ritmo do conto. Fiquei apaixonada aí e não consegui mais largar o livro!

Esse primor é visto em todos os contos. Confesso que alguns me ganharam pela simplicidade, por terem sido mantidas as características tão largamente conhecidas, como quando Angela Carter traz o conto do Lobisomem, mas com uma grata surpresa que faz todo o sentido. O protagonismo feminino é elevado a outro patamar! Há também O gato de botas,cheio de sensualidade; A Bela e a Fera em que não há vítimas nem algozes...

Os contos trazem sempre um  destaque para o papel da mulher. Uma mulher forte, participativa, pensante e consciente de sua força. Isso foi encantador de descobrir! Angela tira o foco da mulher tão frágil e necessitada de proteção para uma mulher real, bem mais próxima do nosso dia-a-dia, que sabe tomar iniciativa e resolver seus problemas. 

"(...) uma característica recorrente nos contos de A câmara sangrenta é o encontro das naturezas humana e animal: somos apresentados a seres híbridos, gato lascivos, lobisomens (...) a sexualidade feminina, que nunca pressupõe a passividade das personagens como um mérito; vemos Chapeuzinho Vermelho e o Lobo em condições de igualdade, assim como estão a Bela e a Fera."
(trecho da revista TAG que acompanha essa edição exclusiva para assinantes)

Leitura rápida, muito gostosa, muito interessante... me deixou com vontade de ler mais dessa autora.

BOA LEITURA!!📚

"(...) as mulheres, eu acho, são, entre os dois sexos, as mais agudamente sintonizadas com a doce música de seus corpos."

"Cercamo-nos, em vez disso, em nome da praticidade e do prazer, com simulacros, e não os achamos menos convenientes do que a maioria dos cavalheiros."

Comentários

Postagens mais visitadas